Amedeo Modigliani e Jeanne Hébuterne: a impressionante história de amor

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Amedeo Modigliani
YouTube.com, video Amedeo Modigliani and Jeanne Hebuterne, canal Kostas Partsinevelos

Traduzido por: Denisa David

Fazemos sacrifícios por aqueles que amamos, por paixão, mas principalmente pelas pessoas. Fazemos sacrifícios e compromissos, quebramos pedaços de nós mesmos para completar aos outros. A história de amor entre o pintor Amedeo Modigliani e sua musa, Jeanne Hébuterne, terminou com o grande sacrifício, mas até lá viveram uma bela história de amor.

 

Quem foi Amedeo Modigliani?

Filho de um comerciante, nasceu em 12 de julho de 1884 em Livorno. A sua infância foi gravemente afetada por problemas de saúde. O facto de a sua atividade física ter sido reduzida devido à doença, determinou-o a dedicar-se a outras atividades, como a pintura. Assim, começou a ter aulas em uma oficina de pintura, e depois continuou os seus estudos no “Instituto de Belas Artes”.

Posted by Amedeo Modigliani on Sunday, March 14, 2021

asd

A sua primeira viagem a Paris e outras realizações profissionais

No início de 1906, o jovem decidiu estabelecer-se em Paris, onde se inscreveu na Académie Colarossi e mudou-se para uma casa no bairro de Montmartre. Modigliani torna-se cliente fiel dos bares nas proximidades, onde tem a oportunidade de conhecer as “vanguardas artísticas”, entre as quais nomeamos Pablo Picasso, Juan Gris e Diego Rivera, além de escritores como Andre Salmon e Max Jacob.

Na sua estreia artística, o seu estilo não se definiu no verdadeiro sentido da palavra, oscilou entre o expressionismo e o fauvismo. Um admirador dele, Dr. Paul Alexandre, apóia-o e convence-o a enviar as suas obras para o “Salão de Artistas Independentes” onde, em março de 1908, Modigliani expõe seis pinturas. Por muito tempo ele não terminou o seu trabalho e ficou sem salário, então voltou para Livorno.

O retorno a Paris e o seu encontro com Jeanne Hébuterne

Depois de alguns anos volta a Paris e em 1917 conhece Jeanne Hebuterne, naquela época tinha 19 anos, era também artista plástica e aluna da Académie Colarossi. Nasce assim um idílio semelhante ao de Romeu e Julieta, porque os pais da menina, uma família rica, opõem-se à sua relação com o pintor.

Eles foram morar juntos com a ajuda de Zborowski (um poeta e intermediário entre vários artistas e potenciais compradores). Porém, a convivência com o pintor deve ter sido difícil, pois ele era viciado em álcool e drogas.

JEANNE HEBUTERNE PAR MODIGLIANI.

Posted by Bernadette Lambotte on Wednesday, March 17, 2021

No entanto, Jeanne não o deixou e apoiou o seu marido. Juntos, eles tiveram uma filha, Giovanna (Jeanne) Modigliani, que ficou famosa pelos escritos sobre o pai dela. Jeanne fica grávida da sua segunda criança, um menino. A jovem torna-se o tema das obras de Amedeo Modigliani, até a musa dele, mas a relação deles ficará para a história como uma das mais tristes.

Em 24 de janeiro de 1920, Amedeo Modigliani morre de tuberculose. A família da jovem leva-a para a casa parental, mas Jeanne atira-se do quinto andar pela janela de seu apartamento, no dia seguinte à morte de Modigliani, acabando por tirar a sua vida, mas também a do feto.

A família culpou Amedeo pela grande perda. Jeanne foi enterrada no Cimetière de Bagneux. Quase dez anos depois, a família cedeu e permitiu a transferência dos restos mortais de Jeanne para o cemitério Père Lachaise para descansar perto de Modigliani.

O epitáfio diz:

Compagno devoto all’estremo sacrificio. (Companheiro devotado ao grande sacrifício)

O que é que acham sobre esta história de amor? Parece uma versão muito semelhante a de Romeu e Julieta, pois? Deixem as vossas opiniões na secção de comentários abaixo.

Se calhar estão curiosos sobre: A Bíblia – de um livro intocado a uma boa opção de leitura.

Fontes:

 941 total views,  3 views today

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.