20 de julho – Dia da Aviação Romena e das Forças Aéreas, razão de orgulho para todos os aviadores romenos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
ziua aviatiei romane, Aviazione rumena, Dia da Aviação Romena
Cdor. (r) Lect. univ. dr. Tănase Jănel

Tradução: Maria Ionel

Para muitas pessoas, o dia de 20 de julho representa só o dia da aviação romena e nada mais. Contudo, para mim, esse dia tem uma significação especial e sempre a teve. No dia 20 de julho, nasceu o meu pai, que hoje celebra a maravilhosa idade de 62 anos.

Talvez fosse uma coincidência, ou talvez não, mas o meu pai nasceu no dia em que celebramos o dia da aviação romena e das forças aéreas. Por que é que digo isso? Por que é que uso a palavra “coincidência”? Isso é porque neste ano o meu pai celebra 46 anos de trajetória militar, e a maior parte da sua vida se dedicou à aviação romena. Começou a sua carreira aos 15 anos, no Colégio Militar “Ștefan cel Mare”, instituição de grande prestígio na Roménia.

A aviação militar apareceu na Roménia no início do século XX.

17 de junho de 1910 – O estabelecimento da aviação militar na Roménia

Em 17 de junho de 1910, no campo da instrução da tropa em Bucareste – Cotroceni, ocorreu o primeiro voo do primeiro avião construído na Roménia. O exemplar foi fabricado com financiamento proveniente do Ministério da Guerra, do arsenal das tropas que se encontrava na Colina Spirii, seguindo o projeto e sob a coordenação do engenheiro Aurel Vlaicu, que naquela época foi contratado com salário. Esse primeiro voo é visto como o marco do estabelecimento da aviação militar na Roménia.

1910 – Inaugura-se um complexo aeronáutico com uma escola de aviação em Chitila

Em 1910, em Chitila, inaugurou-se um complexo aeronáutico com uma escola, infraestrutura necessária para os voos e ateliers para construir e reparar aviões. Essa foi uma iniciativa particular, da qual o investidor principal foi o advogado Mihail Cerchez. Um ano mais tarde, em 9 de julho de 1911, na escola de aviação de Chitila, foi apontado no avião biplano FARMAN III o subtenente Ștefan Protopopescu. Alguns dias depois, a 17 de julho, o segundo oficial romeno acabou por ser apontado como piloto na escola do Cerchez de Chitila.

Setembro 1910 – Aurel Vlaicu realiza um voo de 35 minutos

Em setembro de 1910, o engenheiro Aurel Vlaicu, que participava das manobras militares anuais, realizou um voo de 35 minutos de Slatina até Piatra Olt, transportando um documento para o príncipe herdeiro Ferdinand.

Nesse contexto, a Roménia encontrava-se entre os primeiros países do mundo que usaram a aviação para propósitos militares.

Aurel Vlaicu, após o primeiro voo:

Mas, a maior alegria senti pela primeira vez em Cotroceni. Dessa vez, não subi mais de 4 metros. Contudo, nem os Alpes pareciam que podiam atingir a altura à qual eu tinha subido. Isso é porque, naquele momento, aqueles 4 metros significavam um recorde incrível para mim, um recorde que consagrava a minha máquina. (…) O facto de eu ter voado era a essência. Tinha-me mantido no ar, tinha feito progressos indubitáveis.

O público, aquele que estava presente, aplaudiu-me com entusiasmo. E eu, depois de ter regressado ao chão, estava nas nuvens. A gente ao meu redor dizia que enlouqueci. E, de verdade, eu tinha enlouquecido, mas de entusiasmo e satisfação. Desde o roubo do Prometeu, o homem nunca mais arriscou fazer aventura tão perigosa. Parece que, como no caso do Prometeu, o homem contemporâneo vai compensar com gotas de sangue eternas esse novo descobrimento roubado de Deus.

1 de abril de 1912 – é fundada a primeira escola militar de voo em Cotroceni

No dia 1 de abril de 1912, foi fundada em Cotroceni, dentro do Batalhão de especialidade do Génio, a primeira escola de voo com os subtenentes Protopopescu e Negrescu como instrutores, e com o capitão Ioan Macri apontado como diretor.  No dia 20 de junho, a aviação militar chegou a perder uma vida: o tenente Gheorghe Caranda, aluno – voluntário da escola, faleceu devido à colisão do avião que pilotava.

1 de abril de 1913 – foi instituída a primeira lei para a organização das forças aéreas romenas

No dia 1 de abril de 1913, foi instituída a Lei de Organização da Aeronáutica, a primeira para a organização das forças aéreas romenas. Depois, entre 1913 e 1915, os aviadores de Cotroceni começaram a considerar santo Elias como patrão espiritual, porque existia o costume, naquela época, que cada unidade da tropa romena devesse escolher um santo protetor. Os preferidos eram os santos militares como o Gheorghe e o Dimitrie, mas também outros santos do calendário ortodoxo, como André, Pedro e Pavel. Os aviadores romenos escolheram o santo Elias, que era associado aos voos devido ao facto de ter subido ao céu numa carruagem de fogo.

20 de julho – o dia do santo Elias torna-se no feriado oficial da Aviação Militar e Civil após a ascensão do Carol II ao trono da Roménia

Devido ao fato de que a aviação ainda não era uma arma em si só, o feriado do 20 de julho ainda não era oficial neste ano. Na criação do corpo romeno de aviação, em 15 de setembro de 1915, ainda não se sabia se alguma regulamentação teria sido dada para que o santo Elias fosse apontado como o patrão espiritual da categoria.

A 20 de julho de 1935, na Avenida Jianu, foi inaugurado o monumento dos heróis do ar, dedicado a todos os aviadores que tinham perdido suas vidas também no tempo da guerra, como no tempo de paz. Isso foi mais uma razão para marcar a data como o dia da aviação romena. O feriado manteve-se durante a Segunda Guerra Mundial, e a última vez em que o dia de 20 de julho foi celebrado como o dia da aviação foi em 1947, ano em que o rei Michel I abdicou.

Durante o período comunista, várias datas foram consideradas para a celebração do Dia de Aviação. Em 1952, foi escolhido o dia de 5 de setembro porque nesse dia , em 1915, foi realizado um concurso entre Aurel Vlaicu, que pilotava o avião Vlaicu I, o príncipe Jorge Valentin Bibescu, que pilotava um avião francês – Blériot, e M. Molla, o instrutor da escola de Chitila, que também pilotava um avião francês – FARMAN III. O vencedor foi Aurel Vlaicu e isso foi o que fez o Major General Nicolas Fulga, o comandante das Forças Aéreas Militares, propor o dia de 5 de setembro ao ministro Bodnăraș para ser o dia da aviação da República Popular Romena.

A partir de 1960, a data foi celebrada no terceiro domingo de julho, conforme o decreto do conselho de Estado no. 203/14, de julho de 1960. Esse dia foi mantido também depois dos eventos de 1989, até 2004.

Em 28 de setembro de 2004, o Parlamento da Roménia adotou a lei no. 382, por meio da qual o dia de 20 de julho foi restituído como o dia da aviação Romena.

O aniversário do dia da aviação romena, a 20 de julho,  realizou-se graças à insistência dos aviadores veteranos da guerra, dentre os quais o tenente João Di Cezare, piloto de avião de caça e presidente da Liga Aérea Romena, foi a voz mais convincente.

Alguns aviadores celebram esse dia também em 17 de julho, devido ao facto que as outras duas armas das forças aéreas romenas terem feriados específicos: a artilharia e mísseis antiaéreos, no 19 de setembro, para comemorar a batida do primeiro avião do inimigo em 1916, e a radiolocalização, em 25 de julho, para comemorar a criação das tropas de radiolocalização , em 1955.

Hoje, 20 de julho, celebramos através de cerimônias militares os esforços não só de todos os aviadores romenos que contribuíram para o desenvolvimento da aviação, mas também dos heróis que deram as suas vidas para o país. 

 

 

Referrências:

Como já viste, o período comunista afeitou a Roménia demasiado. Se quiseres ler mais sobre os eventos que tiveram lugar sob o regime comunista na Europa, leia este artigo para ver mais informações.

 820 total views,  1 views today

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.